domingo, 12 de fevereiro de 2017

Quanto mais você ganha, mais você gasta?

Fala galera!

O título do post é uma pergunta, mas reflete uma realidade na vida de muita(muita mesmo) gente. Resolvi escrever sobre isso pois ultimamente tenho ouvido bastante essa frase. 

Outro dia estava almoçando e acabei ouvindo um pessoal que estava próximo conversando justamente sobre isso. 

Um dos dois falou:

- Não tem jeito, quanto mais a gente ganha mais a gente gasta! - Disse um.
- É verdade! - Disse o outro concordando.

Ao ouvir isso passei a refletir sobre a QUANTIDADE de vezes que já ouvi essa frase.
Então cheguei a conclusão: Porquê as pessoas simplesmente aceitam isso como se fosse um "axioma"? Porque ninguém pensa diferente? Uma possível resposta(de muitas) é a seguinte: falta de informação, ou de estudos.

Vou me usar como exemplo. Confesso que eu já pensei assim antes de começar a busca para a independência financeira. Na verdade o meu conceito de IF era o seguinte: Estudar, trabalhar para ter um bom salário e então e poder comprar tudo o que eu quisesse. Não pensava no futuro, nas dívidas, numa possível demissão, na velhice, não pensava em nada. E era isso.

Ainda bem que eu amadureci. Conheci a blogsfera, li livros, conheci o site do Bastter, e então pude observar que essa frase é uma grande armadilha. É como o ditado "Uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade". Isso fica no subconsciente de muita gente e quando elas se dão conta, já estão com apartamento, carro, televisão, celular, empréstimos e presas na corridas dos ratos.

Meu amigo leitor, deixe eu te dizer uma coisa que ninguém te disse sobre essa frase maldita. Você tem escolha. É isso mesmo! De fato você pode gastar mais, OU NÃO. Vamos para mais um exemplo.Você pode ter um aumento de 25% no seu salário e decidir simplesmente não gastá-lo. Só porque você não quer. E ninguém tem nada a ver com isso. Se você quiser deixar o valor referente ao aumento parado lá na sua conta corrente sem gastar, ou colocar na poupança, ou investir no tesouro direto, ou em ações, em FIIs, trocar por dólar, ou euro, dar para alguém,  ou simplesmente gastá-lo, isso é um problema seu e de mais ninguém. 

E esteja preparado para as consequências para os dois lados( Mais dívidas caso opte por gastar mais, ou viver uma vida frugal caso opte por guardar). Só não aceite essa afirmação escrota como verdade absoluta porque um monte de imbecil descontrolado financeiramente acha que tem que ser assim e ponto.

Seja diferente, saia da manada, pense no futuro, pense na sua aposentadoria, tenha opnião própria!

Lembre-se que o irá determinar quando você chegará a IF NÃO é o quanto você ganha, mas sim o quanto você guarda!

E para finalizar, deixo a minha versão da frase que dá título ao post:

Quanto mais você ganha, mais você guarda!

Pra fechar o domingão, vou deixar uma música legal pra vocês.



Grande abraço!

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Carros

Este post é pra você que trabalha o mês todo e no final do mês vê boa parte do salário ser gasta com carro. Seja com prestação, combustível, manutenção, seguro, IPVA etc.

Primeiro, você já se perguntou Porque você tem um carro? Ou porque você comprou um carro?
Se pergunte também: "Está valendo a pena ter/manter um carro?"

Reflita essas perguntas.

Conversando com um colega ele me disse que um amigo dele está comprando um Novo Civic. Uma verdadeira nave. E como toda nave, não é nem um pouco barata. R$ 100.000,00.
Na mesma hora vieram milhoes de números na minha cabeça. Como se fosse Matrix.
Minha cabeça fazendo as contas.
Vamos então fazer uma pausa para detalhar e entender os custo de um carro.
1. Seguro;
2. Franquia;
2. IPVA;
3. Combustível;
4. Multas;
5. Estacionamento;
6. Prestação(caso não tenha comprado à vista);
7. Manutenção;

Acho que com isso consigo enblogar bem os principais custos para manter um veículo, alguns que serão fixos (Seguro, IPVA, Combustível, Manutenção, Estacionamento, Prestação) e outro eventuais(Franquia, multas). Podem haver controvérsias sobre o que é fixo e o que é eventual, mas isso não importa muito. O que importa é que haverão MUITOS custos. E não serão baratos.

Fazendo uma conta simples, e com número bem conservadores podemos chegar ao seguinte para um carro popular:

Seguro: R$ 150,00 Por mês
Franquia: R$ 2.000,00 em caso de sinistro.
IPVA: 1.000,00 por ano
Combustível: R$ 450,00(Supondo aproximadamente 3 tanques por mês)
Multas: R$ 200,00 por ano.
Estacionamento: R$ 50,00
Prestação: R$ 600,00 por mês
Manutenção: R$ 200,00(revisões, troca de óleo, alinhamento etc).

Somando somente os valores fixos temos: R$ 1.250,00
Essa é a realidade de muitas pessoas. Mais de R$ 1.000,00 são gastos com carro. Por mês. Dividindo esse valor por 20, que é a quantidade média de dias úteis num mês, temos R$ 62,50. Tenho certeza que muita gente gasta menos que isso para ir e voltar ao trabalho de Uber, ou até mesmo Táxi. Sem contar que você não terá problemas com estacionamento, seguro, manutenção, franquia, prestação, combustível etc. Talvez até sobre um dinheiro para investir no fim das contas, ou pra fazer o que você quiser.

O colega Cowboy Investidor, fez um post interessante relatando o porque da venda do carro dele, recomendo a leitura. Segue o link do post.

Continuando, quando compramos um carro, literalmente "compramos um filho". E se a gente não quiser ter problemas com esse filho, é preciso investir nele, quero dizer, gastar dinheiro.

Juntamente com o carro vem uma série de complicações que na maioria das vezes as pessoas não pensam. Fico me perguntando como/porque as pessoas conseguem/precisam ter 2 ou 3 carros. As vezes sem a real necessidade. Talvez elas até consigam manter os mesmos por causa o bom salário. Mas será que sobra alguma coisa no final do mês para investir? Ou qualquer trocado para uma reserva de emergência? Pouco provável.

Vejam o Luiz Barsi, o cara tem 1 carro, um Zafira, carro que saiu de linha em 2012. E ele ainda anda de metrô as vezes. Lembrando que ele tem 78 anos. Se não conhece o Barsi, já uma procurada no Google.

O objetivo desse post é fazer você refletir. Refletir que seu carro, bonitão, completão, todo "ão" é dinheiro que poderia estar sendo investido e que cada dia deprecia, como se fosse um investimento com renda negativa mesmo. A menos que você realmente precise do carro, seja uma ferramenta de trabalho ou algo que te ajude a gerar renda etc, acredito que o carro pode ser descartado da sua vida.

E se você vive numa capital, aí é que eu não recomendo mesmo. Pode sair mais barato andar de Uber todo dia do que manter um carro, além de não se estressar com trânsito. 
Temos várias alternativas: O próprio Uber(e concorrentes que estão aparecendo), Táxi, Metrô, Ônibus, Bicicleta, Skate, Patins e até mesmo andar! 

O primeiro passo é desapegar, caso você chegue a conclusão de que é possível adaptar a sua vida para uma vida sem carro. Em seguida vender o bendito.

Feito isso, é preciso tapar os ouvidos para o que os outros vão falar. Porque provavelmente vão falar e muito. Vai ter gente achando que você regrediu, que está apertado, endividado, quando na verdade é o oposto. Apenas ignore.

Em seguida, pegue a grana que você recebeu e coloque na poupança, temporariamente. Enquanto isso você estuda sobre investimentos. Após estudar e decidir qual investimento te atende melhor, é hora de investir!

Bons estudos e bons investimentos!

Grande abraço!

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Cuidado com as altas da bolsa.

Quem investe em ações (como eu) deve estar vendo seu patrimônio subir de maneira muito interessante, e em pouco tempo. Psicologicamente falando, isso é ótimo. E ao mesmo tempo é péssimo!

Mas porque?

Porque estamos falando de renda variável. Meu amigo, nessa vida nada pode ser previsto. Com exceção do mercado de ações. Sim, é possível prevê-lo. O mercado vai subir, e também vai descer, e também vai andar de lado. Só não dá pra prever quando isso vai acontecer.

Agora que você já sabe o básico, eu te faço uma pergunta:

Você está PRONTO para ver seu patrimônio cair?

E quando eu falo cair, é despencar, ir ladeira abaixo mesmo. Isso pode acontecer a qualquer momento (e o oposto também pode ocorrer). Por isso que eu e muitos colegas da blogsfera sempre falamos: "Nunca, nunca, nunca coloque em ações (ou renda variável) dinheiro que você vai precisar". O dinheiro das ações é o dinheiro das ações. Não é o dinheiro da prestação do carro, do mercado da semana, da gasolina, da escola dos filhos. O dinheiro das ações é o dinheiro das ações e acabou. Se por acaso elas caírem 80% por 8 anos, nada em sua vida deverá ser afetado. Isso precisa estar bem claro para qualquer um que deseja investir em ações.

Para fins didáticos usarei um gráfico do Ibovespa. Iniciaremos com a queda:

Nesse gráfico vemos uma queda em um determinado período(marquei o período de 16 de maio de 2008 a 21 novembro 2008. O patrimônio de muita gente diminuiu nesse período. Muita gente faliu. Legal. Agora vamos a alta:

Nesse gráfico vemos uma alta em um determinado período (marquei o período de 21 de novembro de 2008 a 11 dezembro 2009. O patrimônio de muita gente aumentou. Alguns poucos enriqueceram. Legal também.

Você acha que alguém sabia que a queda desse período seria tão acentuada?

Ou que alta viria tão rápido? 

Ninguém sabia.

O que se sabia é que iria subir, em algum momento. Isso é renda variável !!!!

E o que isso quer dizer para mim? Ou para você?

ABSOLUTAMENTE NADA.

Se analisarmos os períodos escolhidos mais detalhadamente. Veremos que houveram altas e quedas, altas e quedas, nada de novo....

Para nós, que temos como objetivo sermos sócios de boas empresas, isso não nos diz nada. 

Lembrem-se, o que importa para nós é sermos sócios de boas empresas, com boa governança, lucros consistentes. Nos períodos de crise as ações delas talvez caiam, mas provavelmente irão subir novamente quando a crise passar. E pronto, vida que segue! 

Abraço!

domingo, 1 de janeiro de 2017

Ano novo

Fala galera! 
2017 começando e nada mais cliché do que postar as metas para 2017

Saúde

Para mim este é o item mais importante, pois a saúde (física e mental) é um fator muito essencial para mim. Com saúde temos força para trabalhar, criar formas alternativas de renda e por fim, aportar / investir. 

Recomendo a todos da blogsfera que não desprezem a saúde jamais, além do mais, sem saúde não será possível usufruir plenamente dos rendimentos do seu patrimônio no futuro.
Vou comprar uma bicicleta para pedalar no fins de semana e voltar a malhar, pois no mês de dezembro confesso que me descuidei nesse ponto.

Finanças

Acredito que não irei mudar muita coisa. Aportar, investir em ações, tesouro direto e aumentar meu patrimônio. E claro, um "trocado" para a reserva de emergência. O trivial que vem dando certo. Claro que tudo pode acontecer, mas a princípio é isso aí.

Trabalho

Pretendo me desenvolver ao máximo profissionalmente falando, quero me especializar na minha área e me tornar mais importante dentro da empresa, fazer um nome. 

Acredito também que nesse ano farei uma coisa importante, pedir um aumento salarial. O período que isso irá acontecer ainda não foi escolhido, mas será em 2017.

Estudos

Em relação aos estudos ainda estou decidindo o que vou fazer, se vai ser uma pós graduação, ou curso de especialização mais rápido. Mas o que está decidido mesmo é retomar os estudos de inglês, me aprofundar. Meu inglês não é tão ruim, consigo me virar bem e falando com um gringo consigo me expressar e ser compreendido. Vou focar no listening e talking.
Também quero estudar mais sobre finanças, em 2016 pude adquirir um conhecimento essencial para definir minhas metas e como chegarei a IF. Pretendo ler mais livros e ver vídeos na internet. Tem muito material bom por aí. É só filtrar as informações úteis das inúteis.

Resumindo

Então é isso! Fica aqui meu primeiro registro de início de ano no blog e no final do ano será feito um balanço de tudo que foi alcançado(ou não) das metas aqui relatadas.

E você, já fez suas metas?

Que venha 2017!

Desejo um Feliz 2017 a todos da blogsfera!

Grande abraço!



terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Retrospectiva 2016 e Prospectivas 2017

Fala galera!

Estive meio ausente da blogsfera esse mês por conta do trabalho. Mas li posts de vários colegas e fico feliz em ver o pessoal aportando em peso.

Provavelmente esse será o último post do ano. Será um post rápido e que servirá mais como registro pessoal mesmo.

Analisando o ano de 2016, posso dizer que foi um ano muito bom e também muito ruim. Profissionalmente falando, tive um crescimento que para mim foi excelente, pois pude aprender muito, muito mesmo. No lado pessoal também tive pude evoluir, mas acho que ainda tenho muito que aprender nesse quesito. Sou um eterno aprendiz em todos os campos, a verdade é essa. Para a maioria das pessoas ao meu redor(família e amigos) pude observar que muitos tiveram um ano que julgo bom. Alguns passaram por momentos ruins mas conseguiram dar a volta por cima, e isso me deixa muito feliz. Tem também a loucura que está o nosso país, mas isso nem comento...

No ambiente de trabalho, apesar de eu ter aprendido muito, a minha empresa passou por uma reestruturação e infelizmente algumas pessoas foram desligadas. Esse é o preço de se trabalhar em empresa privada, a única coisa certa é que você vai ser demitido. Se não for demitido, irá pedir para sair, por vários motivos: nova oportunidade, mudança de cidade ou até mesmo desistência do emprego.

Mas falando do que interessa, que são as finanças, pude realizar bons aportes ao longo desse ano, tive um crescimento no meu patromônio, pude diversificar minha carteira e aproveitei ao máximo o meu 13 salário e todo o "dinheiro novo" que entrava. Inclusive amanhã será meu último aporte do ano. E será todo em ações, quer dizer, talvez bote uns trocados no tesouro direto também(NTNB-Principal 2035).

Em 2017 quero manter aportes constantes e/ou crescentes, nunca menos que o mês anterior.

O meu patrimônio em 2016 está dentro do planejado em 2015, e estou me preparando e fazendo as prospecções para 2017. É essencial fazer esse planejamento, pois assim é possível ter um norte, e também ter noção de quanto será necessário poupar mensalmente para atingir o objetivo estabelecido. 

A cada ano eu me imponho metas mais desafiadoras. Isso me motivo a seguir em frente, aportando, estudando, levando uma vida frugal e vendo meu patrimônio crescer.

Então é isso meus amigos. Desejo com antecedência um Feliz Natal, e que em 2017 a liberdade financeira se torne mais próxima, e que os aportes sejam "graúdos". Desejo também saúde e felicidade para todos da blogsfera e também para seus familiares e entes queridos.
Grande abraço!

domingo, 4 de dezembro de 2016

Como NÃO chegar a Liberdade Financeira

Eu e meus colegas da blogsfera estamos constantemente falando sobre a Liberdade Financeira e os vários caminhos possíveis para chegar até lá.
Hoje falarei sobre o oposto, o caminho em que a maioria das pessoas segue, e infelizmente, aprisionam elas na corrida dos ratos de tal forma que se torna impossível (ou quase impossível) sair.

O que eu vou escrever aqui pode parecer até mesmo imbecil, mas acredite, pessoas próximas a você estão presos nessa e/ou até você mesmo já passou por isso. E eu também me incluo nessa.

Como não chegar a LF?

Simples. Siga a manada.

Mas o que isso quer dizer? Vamos traduzir, mas de uma maneira auto-explicativa e bem objetiva.

Gaste mais do que ganha;
Viva o hoje, porque o amanhã a Deus pertence;
Não estude sobre investimentos;
Ache que o dinheiro é a raiz de todo o mal;
Não tenha nenhum patrimônio ou ache que seu imóvel é seu grande ativo(e também seu maior patrimônio);
Entre em financiamentos que não pode pagar;
Tenha cartão de crédito e pague sempre o mínimo da sua fatura;
Compre um carro de luxo;
Ostente;
Faça uma viagem foda(e cara, mais de uma vez ao ano);
Esqueça a aposentadoria;
Esqueça que desemprego existe;
Não tenha reserva financeira;
Entre no cheque especial todo mês;
Não busque outras formas de renda;
Ache que seu salário estará ali para sempre;
Ache que vai ter saúde para sempre;
Não seja humilde;
Não seja frugal;
Faça empréstimos;
Faça empréstimos para pagar empréstimos;
Compre presentes(carríssimos) de Natal(para toda a família e agregados) e receba de presente uma camisa, da sua mãe;
Siga dicas dos outros, sem a mínima noção do que está fazendo;
Acredite naquele seu amigo que largou tudo para viver de bolsa;
Tenha uma vida maravilhosa.
Troquem "boiada" por "manada".
Ainda existem muitos outras caminhos que levam ao abismo, mas acho que com essas "dicas" aí dá pra ficar na corrida dos ratos pra sempre, na verdade basta escolher uns 4 ou 5 itens que já será mais que suficiente, e talvez até deixar alguns "presentes"(leia-se dívidas) para as próximas gerações.

Vocês conseguem perceber como é preciso força de vontade para chegar a LF? E você sabe porque?

Na minha opinião é porque o ser humano não costuma pensar no longo prazo. Normalmente os nossos desejos são "pra ontem" ou no máximo, pra amanhã. Somado a isso a influência externa, temos então a combinação perfeita para o fundo do poço.

É preciso primeiramente, querer. O mundo está constantemente nos forçando a ficar na corrida dos ratos. As armadilhas são muitas. Carros, inveja, pressão dos outros, vontade de impressionar, compras totalmente desnecessárias e na maioria das vezes descartáveis. Precisamos parar, pensar e entender que na maioria das vezes não precisamos de porra nenhuma do que tentam empurrar para nós. NÃO PRECISAMOS. NÃO PRECISAMOS. Nem eu e nem você precisamos. Desapega. Desapega desse monte de porcaria que ficam tentando empurrar na sua mente a todo momento e a qualquer custo.
Cuidado para não ser arrastado pela manada.
O processo de desapego dói, mas uma vez que ele seja alcançado, você está livre. Livre para fazer o que quiser com seu dinheiro. E provavelmente chegará a conclusão de que investir é a melhor escolha. 

Mas o mais importante mesmo é que você poderá descobrir que a felicidade pode ser alcançada olhando para as coisas de uma forma diferente, com um novo ponto de vista, e não do jeito que todo mundo fala como é ou como deveria ser. A sua forma de felicidade. Busque a sua felicidade, esqueça tudo o que os outros falam sobre ser feliz. Seja um pouco(ou muito) egoísta nesse ponto. 

Bom, viram como é simples NÃO chegar a LF?

Mas então....Você decidiu que quer chegar a LF?

Então faça tudo o que eu escrevi acima, mas ao contrário

Ah! E leia os blogs da blogsfera.

Abraço!

terça-feira, 22 de novembro de 2016

A importância do plano B

Fala galera!

Estou muito ocupado esses dias, viajando a trabalho então não estou tendo muito tempo pra escrever. E quando tenho tempo, estou dormindo. O que me motivou a esse post foram alguns boatos de que algumas cabeças vão rolar em breve aqui no trabalho. Espero que não seja a minha...Mas, e se for?

Quem trabalha em empresa privada precisa estar preparado para a demissão a qualquer momento.

Seja por corte, por incompetência, por azar ou somente por que o chefe não foi com a sua cara. Confesso que meu plano B ainda está em desenvolvimento, então um desligamento agora seria péssimo. Claro que eu teria uma reserva para me manter por um tempo e quitar meus débitos, que são basicamente, cartão de crédito e contas de consumo. Mas como minha renda passiva é baixa, acabaria estragando meus investimentos até eu arrumar alguma coisa para cobrir o possível baque financeiro.

Mas...pelo menos eu tenho uma reserva, um plano, algo para me segurar. E quem não tem? E quem sai com uma mão na frente e a outra atras? E quem recebe a rescisão que mau dá para pagar os infinitos financiamentos em que se afundou? Pois é!
É, amigos....
O meu objetivo é fazer você refletir. Refletir a todo momento em uma maneira alternativa de obter renda para se manter em momentos emergenciais. SEMPRE. Isso deve ser pensado sempre. Pode até ser repetitivo, mas deve ser pensado.

Até mesmo para quem é funcionário público. Claro que nesse caso a demissão não irá preocupar. Mas problemas de saúde, acidentes/batidas de carro e até mesmo aposentadoria devem ser avaliados sempre. Para quem é patrão deve estar sempre de olho no caixa da empresa, e no seu obviamente. Pois qualquer empresa (ainda mais no Brasil), pode quebrar a qualquer momento. Seja pela baixa procura do produto que você oferece, catástrofe natural, ou até mesmo um processo trabalhista.

Devemos avaliar nossa situação diariamente e checar se o que estamos fazendo está nos afastando ou aproximando da tranquilidade financeira. Caso você esteja se afastando, deve ser analisado e estudado o que pode ser feito para ir para o caminho inverso, onde "grandes eventos" na sua vida não irão te abalar a ponto de te levar a loucura ou a falência. Serão simplesmente eventos incomuns, mas que você terá a tranquilidade(mental e financeira) para resolvê-los. E eu garanto a vocês, quando não temos capital disponível, parece que não pensamos direto e sempre tomamos a pior decisão possível. É a lei de Murphy. Peço desculpas se fui repetitivo, mas acho que é essencial estar sempre acordado para este tipo de coisa. Tenham sempre um Plano B(e C, D, E, F....).

E para finalizar, deixo uma frase que já usei em outro post eu acho:

Espere pelo melhor, mas prepare-se para o pior.

Um abraço!